Coeficiente Eleitoral elege Gerson com 16.374 votos e deixa Enelvo de fora com 20.721

O primeiro turno da eleição 2018 mostrou novamente que nem sempre os mais votados são os eleitos. O Coeficiente Eleitoral fez isso com os eleitores de Sidrolândia onde, os dois candidatos mais fortes que representavam o município, Enelvo Felini e Gerson Claro Dino tiveram votações completamente diferentes de sua sorte na corrida por uma cadeira na Assembleia Legislativa do Estado.

Enelvo foi 20º mais votado no geral com 20.721 votos, enquanto Gerson obteve a 25º posição com 16.374 votos. Com a entrada em “campo” do Coeficiente Eleitoral, Enelvo cai para 27ª posição e Gerson acaba eleito em 20º, entre os 24 Deputados Estaduais que ocuparão uma cadeira da Assembleia Legislativa, a partir de janeiro de 2019.

Muito se discute sobre a maneira de como são feitos os cálculos para definir eleitos e não eleitos, invariavelmente candidatos com mais votos ficam de fora. As perguntas que o eleitor faz são: “Não deveriam os mais votados serem os vencedores do pleito?” e “Onde fica a democracia, quando a decisão da maioria e subjugada pela minoria?”.

Dos 20.721 votos que fez Enelvo, 6.055 foram em Sidrolândia, enquanto que Gerson Claro, mesmo com o altíssimo investimento no município, obteve apenas 2.052 votos dos sidrolandenses.

Deixe sua opinião

Comentários

Algum comentário?

%d blogueiros gostam disto: