Competidora de MS elogia nível de dificuldade de seletiva da WorldSkills 2019

Apesar de não conseguir se classificar na seletiva realizada em Blumenau (SC) para a WorldSkills Kazan, uma espécie de olimpíada mundial de profissões que será realizada na Rússia em 2019, a aluna do curso de costura industrial do Senai de Sidrolândia, Vanessa dos Santos Ribeiro, que disputou as provas da ocupação “Tecnologia da Moda”, destacou o nível de dificuldade encontrada durante a competição. Mesmo assim, ela destaca que se sente vitoriosa pelo conhecimento adquirido.

“Participar da seletiva foi uma oportunidade única, pois viajei, conheci o Sul do País, que era um sonho, e conheci muitas pessoas de vários Estados que me ensinaram muito. Amo costurar e estar em contato com competidores que têm a mesma paixão que só fortaleceu ainda mais minha convicção de que é nessa área que pretendo trabalhar. Estou muito agradecida ao Senai de Mato Grosso do Sul e aos meus professores, que me ajudaram e me apoiaram para que eu estivesse aqui”, declarou Vanessa dos Santos Ribeiro.

Provas

Sobre as provas, a representante do Senai de Mato Grosso do Sul classificou como complexas, mas muito bem elaboradas. “Não havia brechas para interpretações erradas. Consegui concluir todas as etapas, conforme o meu projeto, e estou muito satisfeita com meu desempenho. Me dediquei muito durante os treinos e o aprendizado que adquiri nesse período é impagável. Com certeza me sinto muito vitoriosa por chegar até aqui”, completou.

Segundo a delegada técnica da Olimpíada do Conhecimento do Senai de Mato Grosso do Sul, Maise Giacomeli, as provas desafiaram os candidatos a executarem atividades essenciais para o exercício profissional. “Vejo com bons olhos nossa participação, tanto para o Senai como para a nossa aluna, que teve a oportunidade de aperfeiçoar as técnicas aprendidas durante o curso. Além disso, diferente de uma sala de aula, a competição também testa o controle emocional e o tempo”, afirmou.

WordSkills

A WorldSkills, competição internacional que é realizada a cada dois anos em um país diferente, busca valorizar as profissões técnicas em escala global. Organizada pela WorldSkills International – entidade que trabalha, desde 1950, para o desenvolvimento e a excelência das ocupações técnicas -, o torneio reúne competidores de países e regiões das Américas, Europa, Ásia, África e Pacífico Sul. 

Em 2017, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, a delegação do Brasil obteve o 2º lugar geral, enquanto a próxima edição será na cidade russa de Kazan, em 2019. A expectativa brasileira é estar entre os melhores times do mundo e, se possível, repetir o feito obtido em São Paulo (SP), em 2015, quando a equipe do Brasil foi a grande campeã.

Seletivas

O formato das seletivas no Brasil permite que moradores de todos os Estados visitem os locais das provas e conheçam os cursos do Senai, as profissões da indústria e as oportunidades oferecidas pela educação profissional para trabalhadores e empresas. As provas vão ocorrer em 35 cidades de todos os Estados e Distrito Federal. Neste ano, as provas têm como novidade o mesmo formato do torneio mundial. Os competidores passarão, durante quatro dias, pelas mesmas horas que serão exigidas em cada desafio na Rússia e materiais muito semelhantes aos que serão utilizados de fato no mundial. Um grupo de 333 avaliadores vai dar notas a cada um dos participantes.

Nas provas, os competidores com os melhores desempenhos recebem medalhas de ouro, prata e bronze. As provas aplicadas na competição têm como base as qualificações exigidas pelo mercado de trabalho e as atualizações tecnológicas das empresas. O desempenho dos alunos nas disputas forma um conjunto de indicadores que ajuda o Senai a avaliar a qualidade da educação profissional e atualizar os currículos das suas escolas. Com isso, a instituição mantém seus cursos sintonizados com as necessidades das empresas, facilitando o ingresso de seus alunos no mercado de trabalho.

 

Deixe sua opinião

Comentários

Algum comentário?

%d blogueiros gostam disto: