Controle de doping pega time de futebol russo de surpresa em Moscou

O fantasma do doping assusta os russos, que desde os tempos da União Soviética enfrentam acusação de uso de substâncias ilegais para melhorar o desempenho de seus esportistas

Rússia, país que foi suspenso da mais recente Olimpíada de Inverno pela acusação de que o governo patrocinava um gigantesco esquema de dopagem de atletas, reviveu na manhã desta quarta (21) o desconforto com o tema.

Um oficial de controle de doping da Fifa apareceu no centro de treinamento da seleção de futebol do país, que enfrenta o Brasil nesta sexta (23). Como estava sozinho, só acabou de coletar as amostras de urina e sangue dos jogadores por volta do meio-dia. “A sessão de treino foi atrasada. Isso atrapalhou toda a programação do dia”, disse a assessoria da seleção, em nota.

O fantasma do doping assusta os russos, que desde os tempos da União Soviética enfrentam acusação de uso de substâncias ilegais para melhorar o desempenho de seus esportistas. O temor de que ocorra um escândalo envolvendo o time de futebol da casa às vésperas da Copa do Mundo deixa os oficiais especialmente sensíveis ao tema. Na terça (20), a União Russa de Futebol disse que a entidade antidoping do país vem fazendo um rastreamento de todos os atletas do país desde o ano passado.

“Desde outubro, os oficiais coletaram cerca de 500 amostras de sangue e urina”, afirmou à agência de notícias Tass Eduard Bezuglov, o chefe do Comitê Médico da União Russa de Futebol. Segundo ele, nenhum teste deu positivo.

A questão da dopagem é assunto de Estado na Rússia. A suspensão do país dos Jogos de PyeongChang (Coreia do Sul) foi trombeteada por políticos alinhados ao Kremlin como uma perseguição política do Ocidente contra o presidente Vladimir Putin. Essa impressão usualmente permeia conversas sobre o tema com russos em Moscou.

A atual crise diplomática entre Moscou e Reino Unido, que se desenrola após o envenenamento do ex-agente duplo Serguei Skripal e sua filha numa cidade inglesa, foi apontada pelo chanceler Serguei Lavrov como uma turbulência visando atingir a imagem internacional do país antes da Copa.

Ele diz que novas acusações contra Moscou tendem a surgir até o torneio, que começa em 11 cidades russas em junho. Um escândalo de doping antes da Copa na Rússia formaria uma espécie de tempestade perfeita, segundo esse raciocínio.

Opositores do Kremlin, por sua vez, consideram que o governo usa a retórica de perseguição ocidental basicamente para justificar quaisquer atitudes suspeitas, inclusive no esporte.

(Folhapress)

© Reuters

Algum comentário?

%d blogueiros gostam disto: