Em Sidrolândia, apoiados pela população, empresários e produtores rurais manifestam insatisfação contra atual conjuntura do País

Depois de uma manifestação, ordeira e pacífica, coordenada por empresários do comércio do município, ocorrida na tarde de ontem (28), na manhã desta terça-feira (29) o mesmo fizeram muitos produtores rurais de Sidrolândia.

Na manifestação de ontem a tarde, na praça central, empresários manifestaram seu descontentamento com os rumos que o Brasil vem tomando, foram pautados diversos temas, mas ficou evidente o descrédito com o executivo e legislativo federal, além das queixas referentes a “carga tributária” que onera o mercado e quase inviabiliza as empresas de se manterem trabalhando.

Na carreata desta manhã, onde desfilaram pela Dorvalino cerca de 100 equipamentos agrícolas, entre tratores, colheitadeiras e pulverizadores, ficou explicito o apoio aos caminhoneiros, mas também houveram palavras de ordem contra o atual governo.

Tanto em um ato como no outro a aprovação popular ficou evidente, pois pessoas que estavam nas ruas aplaudiram e acenaram para os manifestantes, demonstrando compartilhar de suas queixas e anseios.

O movimento, que começou com a paralisação de caminhoneiros tentando reduzir o preço do diesel, se avolumou e trouxe a tona outras reivindicações como a redução de impostos, a diminuição de gastos com a máquina pública federal e a moralização na política.

Os sidrolandenses demonstram que desta vez não ficarão apenas esperando os grandes centros brigarem por mudanças, estão arregaçando as mangas e reforçando as fileiras de brasileiros que querem um País mais justo e com representantes honestos.

Uma palavra de ordem que tem ganho adeptos é o pedido de “intervenção militar”, que inclusive gerou um equívoco durante a manifestação ocorrida na tarde de ontem. No momento em ocorria o ato na praça central os presentes foram informados que passaria um comboio militar pela Av. Dorvalino, imediatamente as pessoas postaram-se as margens da Avenida para saudar os militares, com aplausos e pedidos de “intervenção militar”, fato que erroneamente foi noticiado pela Rede Globo, que informou que a população de Sidrolândia aplaudia um caminhoneiro que havia saído da manifestação.

Ainda de acordo com a revista Isto É, do grupo Terra, através do aplicativo Whatsapp, manifestantes da greve dos caminhoneiros 2018 estão pedindo uma intervenção das forças armadas urgente.

Usando o app WhatsApp, vários integrantes do movimento falam em manter os protestos nas ruas. Frases como “Não vamos sair”, “É guerra”, “Não quero mais saber de imposto, quero todo o governo fora” e “Não podemos parar, eles viram a força que temos” mostrava o clima entre os caminhoneiros neste último final de semana.

 

Deixe sua opinião

Comentários

Algum comentário?

%d blogueiros gostam disto: