MS tem 16% da malha ferroviária inoperante e prejuízo milionário

CNI cobra a reativação ou a devolução do trecho

A empresa ferroviária Rumo Malha Oeste tem 321,5 quilômetros  dos 1.973 quilômetros que administra, em Mato Grosso do Sul e São Paulo, inutilizados, segundo estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI), com base em dados da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). O total representa 16,3% da malha da empresa, que nos últimos três anos registrou prejuízos de R$ 512,6 milhões.

O estudo, denominado “Transporte ferroviário: colocando a competitividade nos trilhos”, aponta que “a configuração da malha ferroviária brasileira, após a privatização, implica que determinadas concessionárias sejam bastante dependentes da interconexão, basicamente para que o fluxo de mercadorias captadas por essas ferrovias tenha acesso aos portos do País”.

No caso da ferrovia administrada pela Rumo Malha Oeste, dos 797 milhões de toneladas de produtos que foram transportadas em 2016, 120 milhões de toneladas passaram por malha ferroviária de outras concessionárias, o que representa 15% do volume transportado. A CNI avalia como intermediário esse porcentual de participação do tráfego mútuo ou direito de passagem.

* Leia a reportagem, de Clodoaldo Silva e Daniella Arruda, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 Foto: Valdenir Rezende / Correio do Estado

Deixe sua opinião

Comentários

Algum comentário?

%d blogueiros gostam disto: