População perde a Praça Central para moradores de rua

Depois de terem eleito a praça central como seu principal “point”, moradores de rua agora utilizam a estrutura montada para o natal como habitação particular.

Enquanto as autoridades constituídas do município não se movimentam para devolver a sociedade um local que deveria servir para lazer da população, mais de uma dezena de alcoólatras e usuários de drogas utilizam a praça e suas instalações, protagonizando cenas, no mínimo, bizarras, sem falar de repetidas orgias e assédio a pessoas que precisam deslocar-se pelas imediações, onde está concentrado principalmente o sistema bancário do município.

O caso não é simples, a polícia não pode retirá-los sem uma ordem judicial, a defensoria prega direitos humanos e constitucionais, impedindo a remoção. A Assistência Social já fez várias investidas no sentido de recolhê-los a casa de abrigo, algo que só pode fazer com o consentimento dos mesmos.

Enquanto o cachorro corre atrás do próprio rabo a população é que paga a conta, literalmente, porque financia a manutenção de toda a estrutura da praça e não tem o direito de usá-la.

Imagens recebidas através do WHATS APP

Algum comentário?