Premiê francês alerta que novos atentados são planejados na Europa

Novos atentados são planejados contra a França e outros países europeus, alertou nesta segunda-feira (16) o primeiro-ministro francês Manuel Valls. Ele anunciou mais de 150 operações policiais anti-islamitas.

“Sabemos que existem operações que estavam sendo preparadas e estão sendo preparadas contra a França e outros países europeus”, disse o primeiro-ministro em entrevista à rádio “RTL”.

A França deve estar preparada para novos atentados porque pode ser atacada novamente “nos próximos dias, nas próximas semanas”, completou Valls.

“Eu não digo isso para fazer medo, mas para que cada um esteja consciente. Os franceses retomam o trabalho após esses dias terríveis, as crianças voltam para a escola. A vida deve ser retomada evidentemente, mas nós vivemos e nós vamos viver muito tempo com esta ameaça terrorista. E, sem dúvida, é preciso se preparar para as réplicas [dos ataques]”, declarou Valls.

O premiê também afirmou que a Conferência de Paris sobre o clima (COP21) ficará concentrada na negociação, enquanto os shows e atividades festivas serão “sem dúvida cancelados”, após os atentados de Paris.

“Paris será a capital do mundo durante a COP21”, afirmou Valls à rádio “RTL”, em referência ao evento previsto para acontecer entre o dias 30 de novembro e 11 de dezembro. “Nenhum chefe de Estado, nenhum chefe de governo apresentou um pedido de adiamento”, completou.

Operações em meios islamitas

Os atentados de sexta-feira (13) em Paris, que deixaram 129 mortos e 350 feridos, foram “organizados, pensados e planejados a partir da Síria”, disse o premiê.

Na cidade francesa de Lyon, cinco pessoas foram detidas e armas foram apreendidas, incluindo um lança-granadas, coletes à prova de balas, várias pistolas e um fuzil kalashnikov, informaram fontes policiais.

Mais cedo, fontes afirmaram que a polícia realizava “dezenas” de operações nos meios islamitas, como parte do estado emergência decretado pelo governo.

Ações na Síria

Caças franceses lançaram 20 bombas neste domingo (15) sobre o reduto do grupo radical Estado Islâmico em Raqa, leste da Síria, destruindo um posto de comando e um campo de treinamento, anunciou o ministério da Defesa. O EI reivindicou a autoria da série de atentados em Paris.

“O primeiro alvo destruído era utilizado pelo Daech (acrônimo em árabe do EI) como posto de comando, centro de recrutamento jihadista e depósito de armas e munição. O segundo alvo abrigava um campo de treinamento terrorista”, acrescentou o ministério em um comunicado.

Doze aeronaves, entre elas dez caças, engajaram-se simultaneamente a partir dos Emirados Árabes Unidos e da Jordânia e lançaram 20 bombas.

“Planejada para os locais preliminarmente identificados durante missões de reconhecimento realizadas pela França, esta operação foi conduzida em coordenação com as forças americanas”, destacou o ministério.

Fonte: G1

Algum comentário?