UFGD pede auxílio da PM contra trotes e se coloca a disposição nas investigações

A UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) divulgou nota na tarde desta terça-feira (20/3) se colocando a disposição das autoridades para as investigações sobre a denuncia de estupro realizada pela mãe de adolescente de 17 anos, recém-ingressa na faculdade. 

O fato, conforme boletim de ocorrência, teria ocorrido em uma festa fora do campus, após trote realizado para arrecadação de dinheiro em semáforos da região central do município.

Ainda de acordo com a Universidade, a Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários e Estudantis (PROAE) já acionou a Polícia Militar para ações mais efetivas contra a realização dessas ações. 

Uma equipe estará se reunindo na Delegacia da Mulher para dar andamento nas investigações e conforme o relatado, “se for comprovada a participação de alunos da UFGD no caso, todas a medidas administrativas cabíveis serão tomadas, inclusive a abertura de um Processo Administrativo Disciplinar (PAD)”.

A instituição de ensino também disponibiliza o seu serviço de Ouvidoria, que serve para o recebimento de informações e denúncias, assim como mantém o setor de Atendimento Psicológico para receber tanto a vítima quanto seus familiares em casos como o denunciado pela mãe da adolescente. 

O caso

Mulher de 38 anos procurou o 1º Distrito Policial de Dourados para denunciar possível estupro contra a sua filha, estudante de 17 anos que participava de uma festa promovida por acadêmicos na avenida Indaiá. 

Antes, ela teria participado de trote universitário na região central da cidade pedindo dinheiro em semáforos. 

De acordo com as informações relatadas pela mãe na ocorrência, a jovem iniciava curso na UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) e teria participado das ações com veteranos. 

Na segunda-feira (19/3) a tarde, a mulher recebeu o telefonema informando que a adolescente estaria internada em coma alcoólico. Após o aviso, ela se deslocou até o hospital e a encontrou vestida com roupas masculinas que não eram delas. 

A mãe estranhou e ao checar as roupas intimas dela, percebeu vestígios de sangue, porém, a menina não soube informar o ocorrido.

Em seguida ela procurou a delegacia para denunciar o caso e a jovem passará por exames e dar continuidade nas investigações. 

Veja a nota na íntegra

Em relação à denúncia de estupro de uma caloura da UFGD durante a participação em uma festa em Dourados, informamos que:

– estamos acompanhando o caso junto à Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DAM) e nos colocamos à disposição da segurança pública para auxiliar nas investigações, ressaltando que cabe à DAM a investigação criminal;

–  a UFGD disponibiliza seu serviço de Ouvidoria para o recebimento de informações e denúncias; assim como mantém o setor de Atendimento Psicológico para receber tanto a vítima quanto seus familiares; 
– já está confirmada uma agenda da equipe da UFGD com a delegada para mais esclarecimentos dos fatos nesta quarta-feira;

– conforme o andamento das investigações, e se for comprovada a participação de alunos da UFGD no caso, todas a medidas administrativas cabíveis serão tomadas, inclusive a abertura de um Processo Administrativo Disciplinar (PAD);

– a Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários e Estudantis (PROAE) já acionou a Polícia Militar para ações mais efetivas contra o trote, considerado crime nas instâncias federal, conforme Portaria nº 083, de 07 de março de 2007, e estadual, por meio da Lei Estadual nº 2.929, de 9 de dezembro de 2004;

– vamos manter as atividades de Recepção aos Calouros, que acontecerão nesta quarta e quinta-feiras, fazendo questão de abordar temas como violência, assédio e estupro junto aos acadêmicos que estão chegando na Instituição;

– sabendo das consequências danosas junto à comunidade acadêmica, repudiamos toda e qualquer ação de trote.

Por Adriano Moretto – Dourados News

Foto Franz Mendes

Deixe sua opinião

Comentários

Algum comentário?

%d blogueiros gostam disto: