MSVia abandona pelo menos 20 km de obras de duplicação da 163

Concessionária foi multada em R$ 19,5 mil por dia, pela ANTT e o valor já ultrapassou os R$ 2,5 milhões

A CCR MSVia, concessionária da BR-163 em Mato Grosso do Sul, deixou para trás pelo menos 20 quilômetros de obras de duplicação abandonadas ao longo da rodovia. Os trabalhos nestes canteiros foram paralisados em abril de 2017, quando a empresa alegou problemas de financiamento para cumprir a meta de duplicar todos os 843 quilômetros da rodovia previstos em contrato. 

Um dos maiores trechos de obras de duplicação deixados para trás pela concessionária da rodovia que atravessa Mato Grosso do Sul de norte a sul, está no município de Itaquiraí. Há um longo percurso de quase dez quilômetros com parte da nova pista já pavimentada, localizado entre a sede do município e a rotatória no entroncamento com a MS-487, rodovia que dá acesso ao Noroeste do Paraná. 

Um outro trecho, menor, de aproximadamente três quilômetros, está localizado entre o Rio Amambai, na divisa entre os municípios de Naviraí e Itaquiraí, e o posto de cobrança de pedágio localizado entre as duas cidades. Apesar da paralisação das obras, as cobranças continuam ocorrendo normalmente. 

Entre abril do ano passado e os dias atuais, a CCR MSVia entregou apenas 10,8 quilômetros de pista dupla: o trecho já citado no município de Nova Alvorada do Sul e um outro trecho em Jaraguari.
O faturamento no segundo trimestre deste ano, quando as nove praças da empresa arrecadaram R$ 64,4 milhões, foi 8% maior que no mesmo período do ano passado, quando a receita foi de R$ 59,7 milhões. Os bons números contrastam com as dificuldades alegadas pela empresa para prosseguir com as obras de duplicação da via. 

MULTAS

Por causa do descumprimento da obrigação contratual de duplicar 193,5 quilômetros de via e realizar 72 obras, a MSVia foi multada em R$ 19,5 mil por dia, pela Agência Nacional de Transportes Terrestres. O valor já ultrapassou os R$ 2,5 milhões, e o teto de cobrança pelo governo é de R$ 10 milhões.

Procurado, o Grupo CCR informou que ajuizou ação de reequilíbrio de contrato de sua concessionária, 
a MSVia. Ela pretende uma readequação do cronograma de investimentos previstos no contrato original, respeitando a demanda em cada segmento. Caso obtenha êxito, as obras ocorrerão somente se o movimento na BR-163 aumentar nos próximos anos. 

O Grupo CCR informou que, desde que assumiu a concessão da BR-163, em 2014, aplicou R$ 1,9 bilhão na rodovia, duplicou 150 quilômetros de pista e realizou obras de melhoria em outros 520 quilômetros. “O Grupo CCR reitera o seu comprometimento na busca de todas as alternativas possíveis para que a prestação dos serviços não seja descontinuada”, informou a empresa, em nota. 

Por EDUARDO MIRANDA – CORREIO DO ESTADO

Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado

Deixe sua opinião

Comentários

Algum comentário?

%d blogueiros gostam disto: